terça-feira, 24 de junho de 2014

POESIA VIVA DO RECIFE : "AQUÁTICA", de Marcílio Medeiros






Arrastado de outros portos  
aqui aprendi a ser água. 
Recife é a cidade que transborda  
não se quedou soterrada.  
Reparte-se em rios 
transporta sua multiplicidade. 
Transpira inquieta
em canais demarcados. 
Exige pontes a aproximá-la. 
Descobre outras artérias 
a comportá-la. 
Invade aberturas secretas. 
Há que se diluir para abraçar  
o seu corpo de peixes, 
navios, coragem 

Naufragar para renascer  
noutra vida 
de afogados. 
Sua lei 
seu destino 
é derramar-se. 



(Da antologia POESIA VIVA DO RECIFE, 
organizada por Juareiz Correya) 



______________________________________________________
MARCÍLIO MEDEIROS -  Recifense. Na década de 1980 
editou os jornais alternativos Vaga-Lume e Prólogo. 
Conquistou prêmios de poesia em Pernambuco. Poesia publicada : 
Anjo Clandestino, A Pulsação Repleta. Publica, na Internet,  
os blogs literários "Liras, Musas & Aedos"
 (http://marciliomedeiros.blogspot.com) e "Vida Literária" 
(http://marciliomedeiros.zip.net)